Falta bisturi, falta leito e os corredores estão cheios de parturientes esperando o momento de serem atendidas.

O Hospital da Mulher de Feira de Santana está em crise, mas a direção do órgão admite apenas que há uma demanda maior do que a capacidade.

Os problemas naquela unidade de saúde municipal vem se acumulando ao longo dos últimos 8 anos, com compra exagerada de materiais (‘caso das pulseirinhas’) e equipamentos novos mas sem uso.

A direção do Hospital afirma que a unidade está ‘com 120% (sic) de sua capacidade ocupada’ mas não aponta qual será a medida tomada.Apenas  ‘lamentou’ a situação.(leia aqui)