A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) não pode suspender a cobrança de pedágio na BR-324, em razão dos problemas que transtornam a vida dos motoristas, porque este tipo de penalidade não está prevista no contrato com a ViaBahia.

Pelo menos esta é a explicação do diretor em exercício da agência, Jorge Bastos, em resposta a uma solicitação do deputado Colbert Martins (PMDB-BA).

Jorge Bastos ressaltou que a ANTT pode, no máximo, reduzir os valores, caso a ViaBahia deixe de cumprir o contrato, como ocorreu recentemente na praça de Simões Filho, em razão de uma gigantesca cratera que surgiu na saída de Salvador.

O deputado estranhou que a suspensão da cobrança do pedágio não esteja prevista em contrato, “porque seria a forma mais eficaz de pressionar a ViaBahia a cumprir o contrato”, argumenta.