O prédio centenário do antigo mercado municipal  é o símbolo arquitetônico mais representativo da cultura recôncavo-sertaneja da cidade de Feira de Santana.

Em torno dele se movimentou, durante quase um século, a feira livre que elevou e fez crescer a cidade e a região.

Transformado em Mercado de Arte Popular depois que a feira desceu a ladeira para o centro de abastecimento, o Map é a referência mais central e notória da cidade.

Patrimônio cultural, o prédio merece uma ousadia possível nessa reforma anunciada: que seja climatizado.

Até como uma espécie de compensação pelos anos de calor infernal a que fomos submetidos pela estupidez cometida na última reforma.

Os tabaréus da Feira vão gostar.