Como já dissemos neste blog em oportunidades recentes, a Polícia Militar da Bahia vive um momento histórico, em que foi amplamente discutida a estrutura da instituição, com foco nos pressupostos de valorização dos policiais militares, que sofrem de um déficit significativo em virtude do descaso de sucessivos governos.

A novidade é que, pela primeira vez na história da corporação, através da Comissão de Modernização da PM, fomos ouvidos com a oportunidade de expor razões técnicas, motivacionais e legais. Agora, surgem as expectativas: de tudo o proposto, o que será realidade?

Seria um grande erro estratégico do Governo tomar a iniciativa de formar uma Comissão com o caráter propositor e ignorar as intenções dessa mesma Comissão por ele formada, com a participação, inclusive, de membros do próprio Governo. Essa é uma das razões pelas quais vale a pena estar atento ao que está ocorrendo, e, por parte dos representantes diretamente envolvidos, marcar posições visando uma negociação que chegue aos interesses coletivos.

Mesmo com a pouca experiência que nós, militares, temos com as lutas sindicais, consequência da proibição legal a que estamos submetidos – em 5o anos a PMBA não realizou sequer 10 movimentos reivindicatórios – não podemos correr o risco de perder a atual oportunidade. Nesse sentido, o conceito tão conhecido de Uso Progressivo da Força é didático para entendermos como nos comportar em momentos como esse.

É bom não louvar a radicalização pela radicalização, para não correr o risco da antipatia da sociedade nem a realização de um movimento reivindicatório caótico que acaba por gerar prejuízo gerais à categoria e específicos àqueles que “colocam o pescoço na forca”, servindo de bodes expiatórios, como a história mostra.

Por outro lado, é preciso que seja mantido o respeito aos posicionamentos e às posturas reivindicatórias dos representantes da categoria, como tem ocorrido até aqui. Atitudes repudiáveis como a tomada pela Rede Record, que censurou o vídeo publicitário que as Associações tentaram anunciar na emissora tratando do atual momento são contraproducentes e antidemocráticas. Mesmo porque o vídeo não exibe nada de “explosivo”, pelo contrário.(veja o vídeo acima).

Fruto do momento de união vivido pelos policiais militares baianos, no próximo dia 21 de março, sexta-feira, às 15h, as Associações representativas realizarão uma Assembleia histórica, onde praças e oficiais estarão juntos no Wet’n Wild, em Salvador, para tratar das propostas apresentadas ao governo e rumo das reivindicações.

Todos devem estar atentos aos acontecimentos, pois certamente teremos momentos históricos na Corporação nas próximas semanas.

Danillo Ferreira/ Abordagem Policial