Em entrevista ao site Bahia Notícias, em Salvador, o prefeito de Feira, José Ronaldo falou sobre o pedido do Ministério Público para sua cassação e prisão preventiva. A foto é de Tiago Melo e o texto de Marcos Russo:xIMAGEM_NOTICIA_5.jpg.pagespeed.ic.P2Vwb10qhB

O prefeito do município de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), teve a prisão preventiva e a perda de mandato pedidos pelo Ministério Público Estadual (MP-BA) nesta segunda-feira (7). Em entrevista ao Bahia Notícias, o democrata contou que o pedido é fruto de uma ação de um funcionário que era “encostado” pelo INSS e trabalhou na prefeitura entre 2005 e 2007.“Só descobrimos porque, como sempre fazemos, mandamos a relação para a Previdência. Lá foi detectada a falha”, pontuou. Especificamente sobre a ação do MP-BA, o prefeito prefere não opinar. “Gostaria de não emitir minha opinião sobre a ação do MP. Tenho 40 anos de vida pública e nunca tive problema com a Justiça. Nunca tive conta rejeitada sempre tive tudo limpo. Prefiro acreditar na Justiça”, apostou.