Militantes do PSOL de Feira de Santana acionaram a justiça, o Ministério Público e o Tribunal de Contas dos Municípios visando obrigar o município a elaborar um PDDU (Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano) e também denunciando os atual e ex prefeitos por improbidade administrativa.

Segundo o partido, “É dramática a inexistência de um PDDU em Feira”, que acusa grupos políticos de favorecerem interesses pessoais e de tratarem a cidade como “quintal de casa”. Os militantes socialistas também criticam o desenho do projeto do BRT, que fora ” apresentado pronto”, e afirma que, mesmo existindo projetos alternativos em discussão, ” o poder público municipal não demonstra qualquer abertura para modificações na sua proposição de BRT”.

Orçado em mais de 90 milhões, o atual projeto do BRT não resolveria o problema da mobilidade em Feira, já que contemplaria apenas as avenidas Getúlio Vargas e João Durval sem se atentar para problemas de mobilidade no sentido bairro-bairro e zona rural-zona urbana. 

Leia a posição completa do partido no blog Página 50.