defensaTodos os membros da Defensoria Pública do Estado em Feira de Santana estavam presentes hoje pela manhã numa coletiva com a imprensa da cidade sobre a ação civil pública que suspendeu as obras do BRT de Feira de Santana, cujo projeto prevê a implantação na principal e mais arborizada avenida da cidade, a Getúlio Vargas.

Os defensores abordaram um a um os aspectos que levaram o órgão a pedir a suspensão das obras à Justiça. Entre eles a questão ambiental e a ausência de um Plano Diretor de Desenvolvimento adequado a um investimento deste porte.

Mesmo com a aprovação do projeto do BRT para a Getúlio Vargas pelo Ministério das Cidades e pela Caixa Econômica Federal, a Defensoria afirma que existem irregularidades.

Foto de Ed Santos/Acorda Cidade