Mais de 200 anos depois de morto na forca, o quilombola ou ”cangaceiro’ Lucas da Feira, um escravo fugido que durante 40 anos viveu nos arredores de Feira de Santana, tem seu nome lembrado numa disputa territorial entre os municípios de São Gonçalo dos Campos e Feira.

O velho Domingos fala na tribuna da Câmara de Vereadores de Feira de Santana defendendo que as terras da fazenda Saco do Limão sejam pertencentes ao território de Feira de Santana.

O avô dele foi escravo naquela fazenda onde nasceu e de onde fugiu Lucas Evangelista,para de tornar a mais conhecida figura histórica de Feira de Santana,  o Lucas da Feira.

A audiência na Câmara reuniu moradores dos condomínios que existem no local com a presença do prefeito de São Gonçalo e do secretário de planejamento de Feira, Carlos Brito, representando o prefeito Zé Ronaldo que ainda não era candidato ao Governo do Estado.

A polêmica territorial  se arrasta há alguns anos e será definida em votação pela Assembleia Legislativa.

Uma comissão foi formada para encaminhar as propostas juntos aos deputados.