Neste sábado,14,  a partir das 15:00, no Colégio Estadual Agostinho Fróes da Mota, o PSOL Feira de Santana realizará um ato político e cultural como atividade de resistência no marco de um mês de execução da vereadora carioca Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

“O ato é uma iniciativa que, muito além da militância do próprio PSOL, contará também com a colaboração de quem se identifica com Marielle e com sua luta. Nesse sentido, para construir esse momento de afirmação da possibilidade de transformação do luto em luta, já confirmaram presença:

A Vez das Minas – Lina Macêdo, mulher preta e feminista, jornalista e poetisa; e Thamires Santos (Criolafro), mulher preta, afroautônoma feminista e poetisa

Ana Paula – poetisa e militante do Coletivo Feminista Classista Ana Montenegro

Brenus Tsokas – músico e integrante do duo Rádio Livre

Jess Maria – poetisa feirense

Jessica Mina – nascida na Chapada Diamantina, graduada em Letras com Inglês (UEFS), feminista LGBTQI+ e poetisa

Larissa Marques – mulher preta, feirense, estudante de Letras com Francês (UEFS) e poetisa

Nilton Rasta – morador da Rua Nova, músico e ativista cultural

Renata Carvalho (Arisca) – professora, ilustradora, grafiteira e feminista

Tatiane Araújo – mãe do Heros, poetisa, feminista sertaneja, militante do Coletivo Municipal de Jovens de Quijingue (CMJQ) e do Pajeú

Vitoria Luísa – poetisa, feminista sertaneja, militante do Coletivo Municipal de Jovens de Quijingue (CMJQ) e do Pajeú

Quem quiser colaborar, basta chegar para ter vez e voz. A ideia é que o momento político seja marcado por diversas expressões artísticas, como música, dança, poesia, grafite e mais. Entre outras coisas, é um ato para mostrar que aqueles que executaram Marielle falharam: não nos calaram, nem manteremos o silêncio! Marielle vive!”