José Ronaldo recebeu a imprensa em um salão de eventos de uma pousada no centro de Feira de Santana.

O encontro com os repórteres foi articulado através da Secretaria Municipal de Comunicação.

O prefeito Colbert Martins não acompanhava o ex-prefeito mas lá estavam dois dos mais devotados secretários de Ronaldo: o vereador licenciado Justiniano França e o ex-vice-prefeito Borges Junior.

Derrotado no estado e com uma pequena margem de votos sobre Rui Costa em Feira de Santana, o candidato do DEM mostrou serenidade, melhor fluência,  e nenhum sinal de cansaço depois de uma campanha em que segundo ele foram visitados mais da metade dos municípios baianos.

Descartou a candidatura como ‘sacrifício’ mas sim como ‘missão’ da qual saiu mais conhecido e conhecendo mais a Bahia. Ronaldo demonstrou estar convicto de que cresceu politicamente, mesmo sem possibilidade de ter um mandato até 2022.

Sobre esse ‘jejum político’ preferiu adiantar, antes de ser perguntado, que vai participar da eleição de 2020 ajudando “alguns amigos candidatos a Prefeitos e vereadores”.

Perguntado se um desses amigos seria o prefeito Colbert Martins, seu ex-vice e sucessor, respondeu sem pestanejar algo como “eu seria muito burro se dissesse isso agora“.

Ronaldo também respondeu sobre suas relações com ACM Neto, mudança de partido e apoio a Bolsonaro.