O vereador Zé Filé fez um discurso na Camara de Vereadores de Feira de Santana e pediu auditoria em todas as Secretarias da Prefeitura Municipal.

A ideia foi lançada como um ‘conselho’ ao prefeito Colbert Martins que assumiu o governo com a renúncia de José Ronaldo, em abril, para se candidatar a governador.

Essa não é a primeira vez que o vereador Zé Filé, que está no primeiro mandato, coloca na berlinda os seus pares e o governo levantando críticas e pedindo mais transparência nas contas públicas de Feira de Santana.

No início do ano, num discurso sobre a Micareta e em resposta aos argumentos do líder do governo,vereador Lulinha, ele colocou em dúvida a aprovação das contas da Prefeitura de Feira pelos Tribunais de Contas do Estado:

“É muito simples o TCM aprovar contas de gestores, não há dificuldades porque é só apresentar notas. Eu quero saber se há auditoria para verificar a veracidade dessas notas envidadas ao TCM“, disse.

Um novo pedido de empréstimo da Prefeitura,de 130 milhões , chegou de supetão ao conhecimento dos vereadores e da comunidade. Direto da ‘bolsa de projetos’ da Secretaria de Planejamento.

O ‘dinheiro novo’ é para um controvertido ‘plano’ de revitalização’ do centro da cidade que inclui a relocação e expulsão dos camelôs do Calçadão da Sales Barbosa’ para um shopping popular construído em PPP (parceria público privada) no Centro de Abastecimento.

Esse empréstimo tem que ser pensado direito…”, advertiu o vereador na tribuna da Câmara.

“Há 30 dias assistíamos campanhas eleitorais afirmando que a cidade estava a mil maravilhas. Agora, precisamos pegar mais R$130 milhões para reformar o centro da cidade…”

A construção desse shopping em área pública é outro exemplo de narrativas obscuras e nada transparentes do governo municipal em relação a investimentos pesados.

O BRT é o exemplo mais visível e incômodo: os esqueletos da obra inacabada estão expostos no meio das principais avenidas.

Para onde foi esse dinheiro do BRT?”, perguntou o vereador Zé Filé.

 “O ex-prefeito tomou emprestado R$90 milhões para o BRT e depois mais R$20 milhões e até agora não vimos as obras concluídas…”

O ‘barulho’ de Zé Filé foi logo abafado, primeiro por um pronunciamento, com ares de contundência, do presidente do Legislativo, o governista José Carneiro, defendendo a lisura de todos os governo de José Ronaldo desde 2001.

Da parte do governo, o próprio Zé Filé relatou  a ‘zanga’ do secretário Carlos Brito ao ouvir falar na palavra ‘auditoria’.

Apesar do ‘efêmero fato’ criado pelo vereador, a suspeição está no ar, assim como o silêncio de Colbert…