Como parte das comemorações do Novembro Negro, o Museu Parque do Saber exibe, nesta quinta-feira, às 18h30, o filme Mokambo: Nguzu Malunda Bantu, documentário que resgata a força da cultura e a influência dos primeiros africanos escravizados que habitaram o Brasil, nos primeiros séculos da época colonial.

Com 52 minutos de duração, o filme é um rico painel de imagens bucólicas do Brasil e da África, entremeadas de eventos que traduzem a vasta contribuição dos povos Bantos que aportaram, principalmente na Bahia.

A capoeira, o samba, o maracatu, o maculelê, a rica culinária, as irmandades religiosas, o candomblé, são manifestações bastante vivas na alma, no sentimento, e no dia a dia do povo brasileiro, usufrutuário atávico deste legado transcendental.

Idealizado pela jornalista e cineasta Soraya Públio Mesquita, Mokambo tem a coparticipação do jornalista Edson Felloni Borges na concepção do roteiro, foi patrocinado pela Petrobras. A realização é da DPE Produções com produção executiva de Maurício Xavier.

A obra foi inspirada no Terreiro Mokambo, da Nação Congo/Angola, enriquecida com depoimentos de renomados especialistas, a exemplo de Yeda Castro, consultora sobre línguas africanas, Ordep Serra, antropólogo, Vanda Machado, historiadora; Katharina Doring, etnomusicóloga.

O documentário traz ainda as participações dos músicos Matheus Aleluia (Ex-Ticoãs), Tonho Matéria, Rá Nascimento, Jorge Magalhães, e o maestro Ubiratan Marques (Orquestra Afrosinfônica), além do artista plástico Bel Borba.