Não foi apenas eu quem levantou a voz em defesa do painel de Lênio Braga. A restauração dessa obra virou uma espécie de mantra da população, principalmente no meio das artes e cultura de Feira de Santana.

Agora finalmente restaurado, com as peças que faltavam realocadas, o painel está outra vez completo aos olhos curiosos que o vêem ali na Estação Rodoviária de Feira de Santana.

Restam agora as iniciativas culturais para fortalecer também a importância dele para a identidade regional: seminários palestras e visitações de estudantes de todos os níveis.

A UEFS e as faculdades privadas (que se instalam em cada esquina da cidade) todos têm o dever de redimensionar o valor cultural desse bem público, de maneira a criar uma empatia do povo com a obra de arte.

As escolas públicas e privadas devem levar seus alunos para olhar o painel e com isso adentrar o mágico mundo do Nordeste e seus hábitos, alguns já extintos do cotidiano.

Vamos usar o painel, Feira!