“Dá nojo entrar lá”, disse um morador da Rua Nova, em Feira de Santana, sobre as instalações do posto de saúde ou policlínica 24horas daquele populoso bairro da cidade.

Equipamentos enferrujados, paredes e tetos com umidade e rebocos avariados compõem o quadro de desolação, como mostram as fotos tiradas pelo morador.

Morador tradicional do bairro (que pediu para não ser identificado com medo de retaliações) ele foi ao local acompanhando a sua avó.

“No dia que fui tinha médico mas muitas pessoas me disseram que nem todo dia tem”, disse.

Segundo ele, o protesto dos moradores do Viveiros pela ausência de médicos no posto local encorajou moradores da Rua Nova que planejam um ato contra o descaso do governo municipal.

A situação da saúde pública municipal de Feira de Santana é precária.

Nos últimos meses uma série de fatos divulgados pela imprensa apontam para o sucateamento da Secretaria de Saúde: do ‘rombo’ de cerca de 100 milhões desvendado por uma investigação do Ministério Público da Bahia até a morte de três bebês em menos de uma semana, no Hospital da Mulher.

Além disso, 50% dos casos de dengue no estado, estão em Feira de Santana;
– 7 pessoas já morreram por causa da dengue; Pessoas que precisam fazer cirurgia ortopédica estão encontrando dificuldades para realizar o procedimento;Faltam 22 médicos nas equipes do PSF.