Feira de Santana é o segundo maior Município da Bahia, possuindo atualmente 388.717 (trezentos e oitenta e oito mil setecentos e dezessete) eleitores. Podendo o Pleito Eleitoral no referido Município ocorrer em dois turnos.

A última vez que ocorreu segundo turno nas eleições Municipais de Feira de Santana foi no ano de 1996, sendo que no primeiro turno disputaram os seguintes candidatos os quais obtiveram as seguintes votações:

NOME DO CANDIDATO PARTIDO VOTAÇÃO
COLBERT MARTINS DA SILVA FILHO PMDB 46.330
CRISTIANE CARNEIRO FERNANDES PSN 235
EVERALDO DE CASTRO SOLEDADE PPS 1.018
JOAO BATISTA PEREIRA PSD 572
TARCIZIO SUZART PIMENTA JUNIOR PSB 12.053
JOSE FALCAO DA SILVA PPB 50.258
JOSUE DA SILVA MELLO PFL    48.653
RAYMUNDO ALVES PIRES PSDB 2.420
JOSE CERQUEIRA DE SANTANA NETO PT 9.155

FONTE: SITE DO TSE.

Fica claro que a eleição de 1996 foi uma eleição com vários candidatos, uma eleição pulverizada, bastante disputada, que acabou indo para o segundo turno com diferenças mínimas de votos entre os candidatos Jose Falcão da Silva e Josué Da Silva Mello, sendo eleito o saudoso José Falcão, com menos de 5% (cinco por cento) de diferença.

Infelizmente, o saudoso líder político José Falcão faleceu e não completou o seu mandato de Prefeito, mudando a partir daquele momento o quadro político na Cidade.

Contemporâneo a tais fatos, o Carlismo estava em ascensão na Bahia, e projetou o nome de José Ronaldo de Carvalho, que além de ganhar as eleições do ano 2000, ganhou a graça, a credibilidade e criou raízes na Cidade de Feira de Santana, passando os pleitos eleitorais a partir dali a serem decididos em primeiro turno e sob o total controle político de José Ronaldo.

Atualmente, como no ano de 1996, o Ex-Prefeito José Ronaldo também não completou o seu mandato, mas não por falecimento, mas por renúncia para tentar concorrer ao Governo do Estado.

José Ronaldo foi derrotado nas eleições para o Governo do Estado, não conseguindo atingir sequer 30% (trinta por cento) dos votos, porém o mesmo vem demonstrando que não está morto politicamente, pois deixou raízes em Feira de Santana.

Nas eleições de 1996, foram plantadas diversas sementes, como por exemplo, o atual Prefeito Colbert Martins que desde aquela época já possuía expressivas votações, herdadas do seu pai, que foi Prefeito e tinha um eleitorado fiel na Princesa do Sertão. Porém, Colbert Filho, só chegou ao Poder através de uma aliança celebrada com Zé do Sertão, que era seu ferrenho adversário.

José Ronaldo, além de um Gestor reconhecido pela população, também é um grande articulador político, pois sabe “colher os frutos”, plantados durante os Pleitos eleitorais anteriores, como colheu Tarcízio Pimenta que conseguiu eleger como seu sucessor no ano de 2008, mas não teve prosperidade, rompendo politicamente com o mesmo.

O momento, é de uma pulverização política, que pode enfraquecer a Liderança de mais de uma década de José Ronaldo.

De um lado, tem o Deputado Federal José Neto, símbolo do PT na Cidade, aparecendo inclusive expressivamente nas pesquisas eleitorais. Zé Neto, como é conhecido, vem tentando trilhar os mesmos caminhos do seu opositor e xará Zé Ronaldo. O Deputado Petista, vem visivelmente controlando a representação do PT na Cidade e possui forte influência no Governo do Estado, como foi Zé Ronaldo, que representava o PFL e o Carlismo no Município, sendo eleito Deputado Estadual, depois Deputado Federal, quando então foi eleito Prefeito. Ocorre que, falta a Zé Neto, um padrinho político como foi ACM para Zé Ronaldo.

Por outro lado, tem, o atual Prefeito Colbert Martins, que está sendo “apadrinhado” por Zé Ronaldo, quem antes era oposição hoje é “unha e carne”, Colbert não repetiu o erro cometido por Tarcízio, tendo sido fiel, e tem respeitado Zé Ronaldo como o seu Líder Político, o que leva notadamente a acabar herdando os votos do “Cacique”.

Mas, existem “pedras no caminho”, nomes como o Ex-Deputado Carlos Geilson, que rompeu politicamente com o grupo “carlista”, e mesmo assim vem aparecendo expressivamente nas pesquisas, tem nomes como o Deputado Targino Machado do mesmo Partido de Zé Ronaldo, que foi o Deputado Estadual mais votado em Feira de Santana, obtendo na Cidade 42.269 (quarenta e dois mil duzentos e sessenta e nove) votos, e o próprio Jhonatas Monteiro, nome que não pode ser subestimado, pois foi o terceiro candidato a Deputado Estadual mais votado da Cidade, sem apadrinhamentos, sem mandato e realizando uma campanha popular obteve na cidade 16.859 votos, Jhonatas tem carisma e já foi protagonista nas eleições de 2012, chegando a superar a votação do então Prefeito Tarzcízio Pimenta.

Nota-se que a articulação de Zé Ronaldo/Colbert é neutralizar candidaturas com expressão, que pode Pulverizar o pleito Eleitoral no primeiro turno e levar a eleição ao segundo turno, o que é um risco para a dupla. Primeiro, o Vereador Pablo Roberto que apareceu nas pesquisas, foi nomeado Secretário de Desenvolvimento Social, em ato contínuo o Ex-Deputado Fernando Torres (que se cogitava ser vice de Targino Machado) declarou que é candidato a Vereador e que irá apoiar Colbert e criticou veementemente Zé Neto, o próprio Targino que apesar de tecer duras críticas ao Prefeito Colbert Martins, tem esfriado a sua candidatura, não declarando se é de fato candidato, sem contar que o Ex-Prefeito Tarcízio Pimenta que não conseguiu se eleger a Deputado Estadual, mas obteve 12.900 votos, se mantem em absoluto silêncio. Tudo leva a crê, que Zé do Sertão está buscando uma eleição polarizada com o Deputado Zé Neto e buscando derrota-lo no primeiro turno.

Mas, “muitas águas ainda podem passar embaixo dessa ponte”, pois, se houver uma aliança Zé Neto para Prefeito  e Geilson para Vice ( que ocupa cargo no Governo do Estado), se Targino retomar a candidatura a Prefeito com um vice como Lázaro ou um outro nome expressivo dos quadros políticos da Cidade, se Jhonatas Monteiro encarar sua candidatura como nas outras eleições e batalhar bastante voto a voto, “corpo a corpo” explorando e expandindo sua popularidade e o Ex-Prefeito Tarcizio Pimenta acordar e tentar colocar seu nome na disputa, poderemos ter um pleito eleitoral parecido com as eleições de 1996, que ocorrerá de forma acirradíssima, em dois turnos e indefinida, o que não ocorre há muito tempo, depois do “Ronaldismo”.

Rogério Correia é advogado, militante nas áreas de Direito Público e Direito Eleitoral na Região de Feira de Santana – rogeriocorreia15@hotmail.com