Uma agência de desenvolvimento regional ou metropolitana, com a participação de todas as esferas de governo, em parceria com as empresas e entidades representativas do setor privado. Esta é uma proposta do prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho, para “preencher o vácuo que ficou com a extinção do Centro Industrial do Subaé”. Mais uma  vez, o chefe do Executivo Municipal criticou o fim da autarquia e alertou para a “ameaça de danos econômicos muito fortes na região”.

Ele lançou a sugestão durante evento de inauguração da nova sede do Centro das Indústrias de Feira de Santana (CIFS), ocorrido na quinta-feira, 21. Segundo o prefeito da maior cidade do interior da Bahia, este é um caminho para a retomada da atração de investimentos empresariais, no meio industrial, proporcionando uma maior capacidade regional de geração de empregos.

O setor industrial  é um dos mais importantes da cadeia produtiva na economia feirense. “A indústria representa 22% do Produto Interno Bruto do município, sendo responsável por gerar mais de 30 mil empregos, em um universo de cerca de 1.500 unidades fabris, dos mais diversos segmentos, neste município”, acrescentou o secretário de Trabalho, Turismo e Desenvolvimento Econômico de Feira de Santana, Antonio Carlos Borges Júnior, também presente à inauguração.

O prefeito parabenizou a diretoria do Centro das Indústrias  e pediu “esforço conjunto” entre a entidade e o poder público municipal para “pensar  juntos um novo modelo, na busca de soluções efetivas junto ao Governo do Estado”. O objetivo, assinala o gestor, é levar os municípios vizinhos a lutar, juntos, “contra um modus operandi estabelecido, com a extinção do CIS, que dificulta, e muito, a atração de indústrias  e investimentos para este segmento estratégico da economia regional”.

A  nova sede do Centro das Indústrias de Feira de Santana é localizada  na avenida Noide Cerqueira. A inauguração do prédio contou  com a presença de Antonio Alban,  presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia; Andre Régis, presidente do CIFS; João Batista Ferreira, presidente do Conselho do CIFS, e de várias autoridades municipais das mais diversas áreas.

Dirigentes do CIFS apoiam proposta e estão preocupados com manutenção e investimentos 

O presidente do Centro das Indústrias, André Regis, considera interessante a proposta do prefeito de Feira de Santana, Colbert Martins Filho, de criação de uma Agência de Desenvolvimento Regional como alternativa ao fim do Centro Industrial do Subaé. “É preciso que a ideia seja levada adiante”, defende.

Régis adverte para a situação preocupante do parque industrial feirense, que se encontra sem manutenção de sua área física, desde que o Estado encerrou as atividades do CIS. “Temos um núcleo sem serviços de limpeza e de recuperação de ruas. Isto afasta investidores que desejam implantar empresas aqui e inibe a quem pretende ampliar suas unidades”.

O valor arrecadado com a taxa de manutenção do polo industrial local está parado, informa o presidente do CIFS. “Esse recurso é depositado no Funedic (um fundo estadual para gerir os núcleos industriais sob a responsabilidade do Estado), que só pode aplicar em Feira, o que é receita do nosso parque. Com essa indefinição, não vem sendo aplicado”.

Para o presidente do Conselho do CIFS, João Batista Ferreira, o prefeito Colbert está demonstrando “a coragem necessária” para o enfrentamento do quadro. “A sua proposta é muito bem colocada. Esperamos que tenha desdobramentos e resultados”.

Fonte: Secretaria de Comunicação/Feira de Santana