Parece que dentro do entendimento de algumas autoridades governamentais, os policiais militares não deveriam ter direito ao voto.

Pode parecer exagero a afirmação, mas, de que adianta conceder a um cidadão (?) o direito de escolher um representante político se, ao mesmo tempo, não lhe resta a possibilidade de criticá-lo e cobrar o que julgar pertinente?

Danillo Ferreira

Leia o texto completo, acesse: Abordagem Policial

redacao@blogdafeira.com.br