×

Colunistas


André Pomponet

Jolivaldo Freitas
Últimos posts por Jolivaldo Freitas (exibir todos)

Socorro Pitombo

Antonio Rosevaldo

Laila Geovana Beirão

Concertação política na Bahia a todo vapor

O terço final de janeiro começa hoje (20). Depois de muita chuva, houve luz e céu límpido ao longo do mês. Os entardeceres – mágicas combinações de amarelo, de vermelho, de azul – são cinematográficos quando tufos de nuvens azuladas não cobrem o poente. Sabiás e cigarras encarregam-se da soberba trilha sonora. Apesar da Covid-19
Boa parte dos políticos feirenses apoiou Jair Bolsonaro, o “mito”, nas eleições presidenciais de 2018. Dois anos depois – quando ocorreram as eleições municipais – refizeram essa profissão de fé, abraçando os temas caros à extrema-direita. Essas escolhas não foram casuais. É natural, portanto, que a política feirense, hoje, funcione à moda do “mito”, com
À distância, os dois trabalhadores pareciam flutuar no ar, com o casario da Queimadinha ao fundo e, mais além, do centro da cidade. Mas não era nada disso: estavam aboletados numa nova antena – essas antenas parecem sempre surgir do nada – e faziam um trabalho qualquer, muito concentrados. De longe, pareciam imóveis. Às vezes

Vacinados, mas sem máscara

Por um lado, o feirense está de parabéns por se vacinar contra a Covid-19, apesar de todo o boicote da extrema-direita no poder lá em Brasília. Por outro lado, cuidados essenciais como o uso de máscaras em ambientes externos – e até internos – estão sendo abandonados, o que é preocupante em função do avanço
O Orçamento da União prevê investimento de R$ 1,080 milhão na duplicação do Anel de Contorno da Feira de Santana em 2022. É o que consta no Projeto de Lei 19/2021 que, depois de muita polêmica e virulentos debates, foi aprovado em dezembro pelo Congresso Nacional.  Desde 2019 que Jair Bolsonaro, o “mito”, promete a

Poesia de Antonio Brasileiro

CÃES SOLTOS As coisas do mundo chegam tumultuam nossa casa tocam aquela cicatriz ainda não cicatrizada e revolvem um pó quieto não de todo aquietado /e acordamos na noite palpitantes, assustados; o homem são seus passados cães soltos.

2022 não começou melhor que anos anteriores

Chuvas intensas e frequentes que destroem, matam e desabrigam, a Covid-19 avançando naquela que – ao que tudo indica – será mais uma onda da doença no Brasil, a omissão criminosa de governantes demagogos, fome, desemprego, estagnação econômica… o ano de 2022 não começou muito melhor do que os anteriores, não. Aliás, não é de
“…Parece que tem espinhos na cama…” A frase é o refrão de uma canção do Trio Parada Dura. Ouvi-a muito no começo dos anos 1980. Fazia bastante sucesso nas rádios, tocava sempre. Mas – não sei exatamente por que – lembro que tocava infalivelmente nas noites de sábado. Estava eu lá, distraído na minha meninice,
Pesquisei, mas não consegui descobrir quantas crianças na faixa etária dos cinco aos 11 anos residem na Feira de Santana. Mesmo assim insisti, consultando fontes diversas para tentar alcançar, pelo menos, um número aproximado. No site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, vejo que exatos 78.349 estudantes estavam matriculados no Ensino Fundamental

Porrada na igreja e assim o ano começa

Nem bem o andor com a Nossa Senhora da Boa Viagem, seguido pelo andor de Nosso Senhor Bom Jesus dos Navegantes adentrou a igreja que leva o nome da santa lá em Itapagipe, o pau comeu. Logo no primeiro dia do ano e logo dentro da igreja e aos pés da Santíssima e do seu
TOP