COLUNAS

Forró, baião, quadrilha, xaxado e xote. O ritmo pode até variar mas o maestro da festa nordestina é o sanfoneiro. Invariavelmente acompanhado do triangulo e da zabumba, esse trio embala o arrasta-pé na época do São João.

Na pegada dessa tradição, a Universidade Estadual de Feira de Santana (Uefs), através do Centro de Cultura e Arte (Cuca), promove a 10ª edição do Festival de Sanfoneiros.

As inscrições estão abertas até o dia 20 de março e os músicos devem se inscrever através de um formulário online disponível AQUI.

O evento está programado para o dia 20 de maio.

Os interessados  em participar do Festival, podem acessar o Edital Completo com as regras do evento e também o Site do Cuca, onde tem todos os detalhes.

foto:Luizinho  Pé  Quente, ganhador  do  festival  em 2014.

Uma das preocupações do Tribunal Superior  Eleitoral para as eleições deste ano é o possível uso de deepfake, vídeos criados a partir de inteligência artificial e que reproduzem a aparência, as expressões e até a voz das pessoas.

quinto episódio da série Minuto da Checagem, veiculado no canal da Justiça Eleitoral no YouTube, trata da chamada deepfake.

O filme de 1 minuto e 30 segundos de duração  atingiu mais de um milhão de visualizações nesta segunda-feira,17

 É muito importante que os eleitores tenham consciência desse perigo e que chequem as informações que recebem antes de compartilhá-las”alerta Ana Paula Ergang, coordenadora do Núcleo de Rádio e TV do TSE.

A série Minuto da Checagem é produzida desde outubro de 2019 pela Assessoria de Comunicação (Ascom) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Os vídeos são veiculados mensalmente, sempre abordando temas importantes para a conscientização acerca da desinformação e da responsabilidade de todos para impedir a sua disseminação.

Com concepção e layout dos estúdios desenvolvidos pela equipe da emissora, a TVE faz este ano uma homenagem ao artista plástico Hector Julio Páride Bernabó, mais conhecido como Carybé.
Argentino naturalizado brasileiro, Carybé foi consagrado como um dos maiores representantes da cultura baiana moderna e tornou-se conhecido internacionalmente por suas obras que valorizavam a Bahia, os rituais afro-brasileiros, a capoeira e as belezas naturais e arquitetônicas do Estado.
A Rádio Educadora FM também preparou uma programação especial para o Carnaval e realizará a transmissão na íntegra dos shows do Pelourinho.
Confira os horários da transmissão na TVE:
Quinta-feira (20), a partir das 18h até 2h
Sexta-feira (21), a partir das 16h até 2h
Sábado (22), a partir das 16h até 4h
Domingo (23), a partir das 12h até 2h
Segunda-feira (24), a partir das 12h até 2h
Terça-feira (25), a partir das 12h até 2h
Acompanhe a TVE e a Rádio Educadora nas redes sociais:
facebook.com/tvebahia
youtube.com/tvebahia
twitter.com/tvebahia
instagram.com/tvebahia
facebook.com/educadorafmba
twitter.com/educadorafmba
instagram.com/educadorafmba

 

por  Jolivaldo Freitas

A direita brasileira está jogando livre, sem marcação. Sem respeitar as leis do impedimento e ainda fazendo gol de mão.

A esquerda brasileira está na retranca. A direita parece estar em jogo de torcida única. A esquerda parece que vendo de longa, pela TV. O técnico da direita mandando entrar de sola, dividir e “jogar pra pirão”. A esquerda olhando o técnico preocupado em não ser vaiado pela massa. Perdão pela longa dissertação analógica, mas estamos vivendo um Brasil em que a esquerda (que poderia ser ativa, além de ferrenho contraponto ao governo, anda patinando), totalmente perdida e sem conjunto.

Pode-se dizer que a culpa recai sobre Lula. Ele está mais preocupado em recuperar sua biografia, do que dar um destino melhor e mais honroso para o Partido dos Trabalhadores, e ajudar a dar um Norte para a outra metade da população, que tem Bolsonaro como o leviatã.

Não podemos esquecer que a volta da democracia ao país, anulando a ditadura militar, é devido à atuação dos grupos de esquerda.

Ela era a vanguarda organizada do pensamento político e da atitude civil. Era sinônimo de oposição e a perspectiva de algo novo depois de dezenas de anos do governo de caserna. A esquerda chegou ao poder com Lula, mas se perdeu no caminho.

O articulista Vladimir Safatle, do El País, publicou uma peça cujo título é “Como a esquerda brasileira morreu”. Lembrando que ele tem uma carreira pautada com a democracia e causas sociais. Ele está desanimado, por notar que a esquerda vem mostrando cada vez sua incapacidade. Não sabe ou não quer reagir. Ele observa preocupação com o que considera uma escalada fascista. Tanto que a palavra mais forte do seu artigo é “terminal”, buscando nominar o estado indigente dos setores ditos progressistas. O articulista mostra espanto diante da passividade da oposição nos momentos de aprovação da Reforma da Previdência, por exemplo, o que demonstra, em sua opinião, que a esquerda perdeu a capacidade de estabelecer outros modelos políticos e também econômicos.

Veja um trecho do artigo: “A esquerda governa estados, municípios grandes e pequenos, mas de nenhum deles saiu um conjunto de políticas que fosse capaz de indicar a viabilidade de rupturas estruturais com o modelo neoliberal que nos é imposto agora. Houve época que a esquerda, mesmo governando apenas municípios, conseguia obrigar o país a discutir pautas sobre políticas sociais inovadoras, partilha de poder e modificação de processos produtivos. Não há sequer sobra disto agora”.

Vladimir Safatle observa que o povo brasileiro devia se preocupar, pois essas atitudes estão facilitando a que o governo atual jogue sem marcação, o que é ruim para a democracia. Ele tem razão quando diz que a esquerda está fraca, perdida e fragmentada. Hoje o PT, que seria o grande muro contra as investidas dos novos hunos; um alambrado contra a direita, está envergonhada pelo cometido e voltada, não mais para uma campanha de longa duração de “Lula Livre”, mas denodando esforços para um “Lula Inocente”. E, enquanto isso não se vislumbra uma composição esquerdista para bater de frente com os atos e anseios direitistas. A esquerda está em coma. Se não respirar não viverá. E não é culpa do Coronavírus. Sim, do seu próprio vírus.

——————————————-  

Escritor e jornalista. Autor de “A Peleja dos Zuavos contra Dom Pedro e o Satanás” e de “Histórias da Bahia – Jeito Baiano”. Email: [email protected]

TOP