Aqui na nossa Princesa do Sertão tudo leva anos para acontecer, parece que estamos no fim do mundo.

Vejam que a privatização ou concessão da BR 324 só veio acontecer há pouco mais de três anos e até o momento nada de concreto foi construído, ou seja, literalmente apenas as praças de pedágios e três pontos de apoio, dois no sentido Salvador/Feira e um no sentido inverso.

Diariamente o trafego é interrompido em uma das duas pistas para proteger os trabalhadores que fazem capina, colocam muretas de proteção ou remendam o asfalto que constantemente está  esburacado e de vez em quando fazem a sinalização horizontal.

Agora para tentar amenizar a falta de viadutos que já deveriam ter sido construídos, estão sendo colocados em vários pontos, principalmente próximos aos retornos, câmaras para controlar a velocidade, radares, para multar aquele desavisado, que quando descobre que vai ser penalizado freia bruscamente  correndo risco que ser  esmagado por carretas, ônibus etc., que trafegam constantemente nesta via acima da velocidade permitida, máxima de 80km/h.

Acredito que o controle de velocidade reduza bastante os acidentes, mas do jeito que é colocado sem nenhum critério aumenta muito mais os riscos de acidentes fatais. Tudo bem que controle a velocidade máxima, trata-se de uma rodovia pedagiada, são diversas velocidades permitidas, 60 km/h e vai até 100 km/h, é muito difícil para qualquer motorista experiente saber a velocidade correta.

A BR 324 necessita de diversos viadutos, passarelas para pedestres e urgentemente uma terceira via, nos dois sentidos, engarrafamentos constantes atrasam as viagens daqueles que necessitam chegar ao destino na hora certa.

Onde estão os deputados estaduais, federais e senadores, Ministério Publico ,  que trafegam diariamente por esta BR e não providenciam as melhoras previstas no edital de concessão, onde esta determinado que as obras de infra estruturas deveriam ser iniciadas imediatamente quando foi assinado o contrato  com prazo de seis anos para estarem totalmente concluídas?

De vez em quando deputados, promotores públicos e até o vice-governador Oto Alencar que colocou a boca no trombone quando ficou por horas parado em engarrafamento nesta via, depois do barulho nada aconteceu para melhorar.

E o nosso anel de contorno, lado norte, Cajueiro a Cidade Nova, quando serão iniciadas as obras e quem será o responsável pela execução? A todo momento fala-se e comenta-se sobre esta barbaridade, providências concretas ninguém vê.

Marilton Carvalho
marilton@alicrim.com.br