jamil jamilO professor e jornalista Jamil Souza, Integrante do movimento “O Beco é Nosso” que realiza intervenções públicas de arte no Beco da Energia em Feira de Santana, utilizou seu blog “Bahia Geral” para publicar uma ‘carta aberta’ ou ‘manifesto’ sobre a pré-candidatura do artista Márcio Punk, o idealizador do movimento, a vereador pelo PSB nas eleições deste ano.

No manifesto, Jamil começa afirmando a condição de ‘independente e apartidário’ do movimento e que por isso “o Beco não tem candidato, Márcio Punk não é candidato do Beco

Abaixo, na íntegra, o texto de Jamil:

O Movimento “O Beco é Nosso”, que organiza as intervenções artísticas e culturais no Beco da Energia, centro de Feira de Santana, nasceu independente a apartidário.

E luto para que continue assim. O BECO NÃO TEM CANDIDATO!

Em relação à matéria do jornalista Janio Rego publicada no Blog da Feira sobre a filiação de Marcio Punk a um partido político e  a confirmação de sua pré-candidatura a vereador, quero dizer que isso partiu unicamente do desejo dele, Marcio Punk, e que não foi uma deliberação coletiva.

Portanto, Marcio Punk não é o candidato do Movimento o Beco é Nosso.

Vale ressaltar que todos os membros do Movimento O Beco é Nosso são cidadãos livres e, uma vez em pleno gozo de seus direitos políticos, qualquer um pode se filiar a um partido político ou candidatar-se.

Nas reuniões que aconteciam antes de depois das intervenções, debatíamos tudo e nunca foi ideia do coletivo lançar a candidatura de quem quer que fosse. A pauta principal sempre foi arte e cultura.

O objetivo coletivo sempre foi fomentar a cultura e arte gratuitas no centro de Feira de Santana.

É importante registrar que essas importantes reuniões, muitas delas abertas à comunidade feirense, deixaram de acontecer ainda no ano passado. Algo que considero lamentável.

As intervenções artísticas e culturais tiveram início em julho de 2015 quando os artistas Marcio Punk, Gabriel Ferreira, Ivan Coelho, Charles Mendes, Kbeça Grafitti, Dom Guto, Caíque e outros ativistas culturais entraram no beco levando tinta e enchendo de cor, arte e beleza as paredes do Beco da Energia.

Eu estive presente naquela primeira intervenção, sendo o primeiro membro da imprensa feirense a conhecer e a divulgar as ações artísticas no Beco da Energia.

A partir daquele momento, passei a participar das decisões e junto com o jornalista Elsimar Pondé lutei para que o as ações do Beco da Energia pudessem ter a visibilidade merecida e o respeito do poder público.

Foi minha a ideia de implantar uma biblioteca que ficasse aberta 24 horas em geladeiras no Beco da Energia, as famosas “Geladeirotecas”. Ações sociais, promover o respeito e levar dignidade para as moradoras e comerciantes do beco sempre foi uma das minhas preocupações.

Falei das ações no Beco da Energia para diversas autoridades em várias reportagens que fiz para o Blog Bahia Geral. Do prefeito José Ronaldo e seus secretários municipais a políticos e autoridades estaduais eu questionei sobre a intervenção artística no beco. Professores, poetas, artistas e intelectuais foram por mim convidados a conhecerem o Beco da Energia e muitos se somaram ao projeto.

Após muitas reuniões e debates sobre as formas de fortalecer o belo movimento de cultura e arte no Beco da Energia, centro de Feira de Santana, resolvemos tentar editais públicos para financiar a ações. O grupo escolheu para auxiliar no projeto o produtor cultural Ludgero Cunha, conhecido como Dudu Cunha. Ainda no final de 2015 tivemos a alegria de ver o projeto “O Beco é Nosso” ser contemplado por um edital do Governo Estadual. Atualmente, todas as ações culturais e artítiscas desenvolvidas pelo “Movimento O Beco É Nosso” no Beco da Energia contam com o apoio financeiro do Fundo de Cultura, Secretaria da Fazenda, Secretaria de Cultura e do Governo da Bahia.

Esperamos que as ações artísticas, culturais e sociais do Movimento O Beco é Nosso que ocorrem no Beco da Energia continuem.

E cremos que para que o movimento possa perdurar é fundamental que exista independência, pluralidade de ideias e decisões colegiadas.

Afinal, o beco não tem dono! O beco é de todos! O Beco é Nosso! Que continue assim.”

Feira, 05 de abril de 2016

Jamil Souza