milton-santos1O Programa de Bolsas Milton Santos da Universidade Federal da Bahia  será lançado hoje  às 17h, no Gabinete do Reitor, em Salvador. O programa vai beneficiar estudantes de graduação e pós graduação da UFBA  com bolsas de Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado.

Na cerimônia será assinado um  “Termo de Doação” pelo Reitor João Carlos Salles e pela viúva do professor Milton Santos, Sra. Marie-HélèneTiercelin Santos, que doará os fundos para o financiamento de 10 bolsas de Iniciação Científica, 3 bolsas de Mestrado e 1 bolsa de doutorado, sendo que 5 delas sempre serão destinadas à área de Geografia.

Serão disponibilizados mensalmente à UFBA a quantia de R$ 13.000,00 (treze mil reais), durante 5 anos, passíveis de renovação, devendo haver uma avaliação anual da experiência do programa com apresentação pública dos trabalhos desenvolvidos.

Os beneficiados deverão desenvolver pesquisas, de diversos campos, mas que apresentem como problemática de trabalho questões referentes à cidade, à urbanização, ao espaço, ao território, à globalização, à geopolítica, à ecopolítica e à cidadania.

O processo de seleção para concessão das bolsas ficará a cargo de um comitê formado pela Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade Federal da Bahia.

QUEM É –  O professor Milton Santos nasceu em 1926 e morreu em 2001. Bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal da Bahia em 1948 e tornou-se Doutor em Geografia pela Universidade de Strasbourg em 1956, sob a orientação do professor Jean Tricart.

Milton Santos se viu obrigado a deixar o Brasil logo após o golpe militar de 1964.

Antes de 64 ele conduziu uma carreira acadêmica e atividades públicas. Foi jornalista e redator do jornal A Tarde(1954-1964), professor de geografia humana na Universidade Católica de Salvador (1956-1960), professor catedrático de geografia humana na Universidade Federal da Bahia onde cria o Laboratório de Geociências, será diretor da Imprensa Oficial da Bahia (1959-1961), presidente da Fundação Comissão de Planejamento Econômico do Estado da Bahia (1962-1964), e representante da Casa Civil do presidente Janio Quadros na Bahia, em 1961.

Suas pesquisas e publicações da época focalizam as realidades locais, principalmente a capital – a tese de doutorado é intitulada O Centro da Cidade de Salvador – assim como as cidades e a região do Recôncavo.

Depois do golpe militar instalou-se na França, onde atuou como professor convidado nas universidades de Toulouse, Bordeaux e Paris-Sorbonne, e no IEDES (Instituto de Estudos do Desenvolvimento Econômico e Social). Em 1971, aceitou convites fora da França, tendo passado pelo MIT (Massachusetts Instituteof Technology – Boston) como pesquisador; e como professor convidado nas universidades de Toronto (Canadá), Caracas (Venezuela), Dar-es-Salam (Tanzânia) e Columbia (New York).

Retornou ao Brasil em 1977 e foi reintegrado aos quadros da UFBA  em 1995.

Leia mais sobre Milton Santos (clique aqui)