images-52

Com um incremento de 21%, o equivalente a 10 mil novas vagas, começou nesta quinta-feira, 15, a matrícula para novos alunos na Rede Municipal de Ensino.

De acordo com a secretária de Educação, Jayana Ribeiro, as escolas municipais passam a ter este ano a capacidade para atender até 58 mil estudantes, distribuídos na Educação Infantil e Ensino Fundamental do 1º ao 9º ano. A matrícula segue até o próximo dia 21.

A construção de 32 novas escolas, reforma com ampliação em aproximadamente 50 unidades de ensino, a reorganização da Rede Municipal e ainda resultados mais positivos no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – Ideb permitiram a ampliação das vagas.

Já no primeiro dia, muitas famílias fizeram filas em busca de uma vaga nas escolas municipais. Em dezenas delas, há vagas suficientes, mas também há escolas em que a procura tem sido ainda maior que a oferta, apesar do incremento. É o caso, por exemplo, do Centro Municipal de Educação Infantil – CMEI Antonio Carlos Machado, no Feira VII.

Os CMEIS, também chamados pela comunidade de creches, são os mais procurados. Este ano, a oferta de vagas para este segmento, que é a Educação Infantil, cresceu 10,7%, implicando em 1.150 novas vagas para crianças entre 1 e 5 anos. Nos últimos cinco anos, a Seduc construiu e entregou à comunidade 18 novos CMEIS, permitindo um aumento de 35% das vagas –  antes a oferta era de 8.427; subiu para 11.800 vagas. Ainda assim, algumas famílias estão enfrentando dificuldades para matricular as crianças menores, geralmente aquelas que têm entre 1 e  3 anos.

A secretária de Educação, Jayana Ribeiro, explica a necessidade de priorizar a oferta: “A nossa obrigatoriedade, de acordo com a Lei de Diretrizes e Bases da Educação, no seu artigo 6º, é matricular os alunos a partir dos quatro anos. Apesar do incremento bastante significativo nesta modalidade nos últimos anos, a demanda no município é cada dia mais crescente. Portanto, a dificuldade em atender todas as crianças nesta faixa etária e, consequentemente, a necessidade de priorizar a matrícula a partir dos 4 anos”, argumenta.

Conforme a orientação da Seduc, nos CMEIS onde houver vagas remanescentes, estas serão distribuídas para os grupos 3, 2 e 1, respectivamente.