O SESC de Feira de Santana recebeu, ‘de graça’, da Prefeitura de Feira de Santana, toda a área do velho casarão da Santa Casa de Misericórdia com o compromisso de construir ali um restaurante para os comerciarios e restaurar esse que é considerado o prédio mais antigo da cidade.

Mas, ao que parece, nao era um compromisso, mas um bem aplicado ‘golpe imobiliario’ na Municipalidade, tornando-se proprietária, a custo zero, de uma das áreas mais valiosas de Feira de Santana, patrimônio histórico, para implementar um projeto de expansão da entidade em Feira.

Essa doação aconteceu há mais de 10 anos. As obras, no entanto,  começaram há cerca de três.

E o que ocorreu:

a construção do restaurante já terminou, o SESC pretende inaugurá-lo em julho,  mas o velho prédio onde funcionou também a ‘Casa do Menor’ continua do mesmo jeito, agora ao lado dos prédios novos do SESC , se deteriorando a olhos vistos.

O velho prédio está cheio de ”remendos’ para segurar a estrutura.

Um gerente local do SESC disse ao Blog da  Feira, através de ZAP,  que ‘a burocracia’ do estado da Bahia impediu a restauração.

Ou seja, o SESC bota a culpa  no IPAC e IPHAN, órgãos responsáveis pela licença de restaurar prédios históricos e tombados.

Poucas empresas no país estão habilitadas para fazer a obra“, disse o gerente, insinuando a  ‘dificuldade burocrática” para não cumprir o compromisso.

Desculpa esfarrapada.