Chineses, italianos, espanhóis e franceses participaram de discussão sobre o Sistema Viário Oeste (SVO) nesta segunda-feira (17), na sede da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SDE), no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. O encontro reuniu representantes das empresas interessadas, do Governo do Estado e dos organismos financiadores nacionais e estrangeiros.
O projeto, que inclui a construção da Ponte Salvador-Itaparica, está orçado em R$ 5,34 bilhões, com aporte de R$ 1,51 bilhão do Governo do Estado.
Para o secretário da Casa Civil, Bruno Dauster (foto) a presença dos empresários e organismos financiadores demonstra a importância do projeto:
“Esta talvez seja a última reunião com interessados não apenas na construção da ponte, mas também no financiamento. Além do BNDES e da Desenbahia, estão presentes bancos e agências de fomento internacionais. Nós vamos lançar o edital no máximo até 30 de julho e vamos abrir o edital na Bolsa de São Paulo até o fim de setembro”, afirmou.
O vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico, João Leão, informou que o Governo do Estado garante, no projeto, um número mínimo de tráfego para a viabilidade econômica da ponte Salvador-Itaparica.
“O nosso projeto é de desenvolvimento econômico para o estado. Esta não é uma ponte que vai servir apenas para Salvador e Itaparica, mas será um novo vetor de desenvolvimento para todo o Estado”
Sistema Viário Oeste – O sistema beneficiará 10 milhões de pessoas, que vivem em cerca de 250 municípios da Bahia. Com a construção da ponte e demais intervenções viárias do projeto, a Ilha de Itaparica, o sul do Recôncavo e o território do Baixo Sul terão o crescimento socioeconômico estimulado, como ocorreu no Litoral Norte após a construção da Estrada do Coco e da Linha Verde.
A ponte Salvador-Ilha de Itaparica será a segunda maior da América Latina, com 12,4 quilômetros de extensão e ocupará a 23ª posição no ranking mundial de pontes.
fonte:Secom/Bahia