Uma nota de esclarecimento do Colégio Helyos (clique na imagem) desmente  eventual alienação da instituição, especulada nos últimos dias em noticiários da imprensa baiana.

O Colégio admite que  recebeu “visitas de vários grupos” interessados em conhecer as suas instalações e  sistema pedagógico “para eventuais parcerias“, mas “não há nada além de tratativas normais, esclarecedoras, ricas em aprendizagens com grupos que se interessam pelo Colégio das quais não devemos e nem podemos nos furtar”.

A nota traça um histórico do colégio, lembrando que em 1991 o Colégio Helyos sucedeu a Escolinha do Sol fundada pela Professora Maria Luiza Santana Soledade dez anos antes na Av. Sampaio,
no centro da cidade. Ainda naquele ano, o professor Teomar Soledade Jr. incorporou-se ao projeto educacional que, até então, voltava-se à Educação Infantil.

“O Colégio instalou-se em prédio próprio em 1992, na Av. Eduardo Fróes da Mota, financiado pelo BNDES/Desenbanco, expandindo-se com contratos sucessivos, tendo presentemente o apoio do Banco do Nordeste do Brasil S. A. Atualmente ocupa vários imóveis no bairro Santa Mônica e, de alguma forma, contribuiu significativamente
para transformação e valorização desse bairro”, complementa.

O texto também destaca que “os resultados obtidos por alunos no ENEM – Exame Nacional do Ensino Médio – colocou o Colégio entre os melhores do Brasil. Motivo de júbilo para nosso estado, cidade e comunidade Helyos.

 

Clique na imagem em PDF e leia a Nota de Esclarecimento completa.

 

LEIA TAMBÉM:

Colégio Helyos esclarece sobre as passarelas, Secretaria de Obras de Feira de Santana e decisão judicial

Colégio Helyos ganha destaque nacional pelo desempenho dos alunos no ENEM 2016