A placa na foto diz tudo.

Oficialmente, os recursos para cobertura do Feiraguay, um importante espaço do comércio varejista de Feira de Santana, vieram para a ‘revitalização da praça Presidente Médici’ pois o que ‘existe’ para a Caixa Econômica e órgãos federais é a antiga praça que deu lugar à Estação do ‘trem de Cachoeira’ que existia ali.

No cotidiano dos feirenses ninguém diz que vai pra praça Presidente Médici, considerado o mais cruel ditador do golpe de 64.

O nome do local é Feiraguay e assim já deveria se chamar oficialmente.  Ali não há ‘revitalização’ mas a instalação de um novo telhado no local.

Mas tirar o nome do general da Ditadura e institucionalizar ‘Feiraguay’ é uma competência dos vereadores…

A PRAÇA

Quem lembra é Lito Reis, feirense “nascido e criado nos Olhos D’Água”:

A praça foi construída pra substituir a Estação Ferroviária que existia no local.

Na época houve mobilização pra não destruir a Estação e dar uma utilidade ao prédio.

A Ditadura Militar então destruiu tudo e criou uma praça homenageando o maior ditador do regime.

O próprio ditador imbecil, que foi até o interior do ES inaugurar o prédio da Receita Federal que acabava de ser construído na Av Getúlio Vargas, inaugurou a praça com o nome dele.

Já passou da hora da Câmara Municipal trocar o nome dessa praça.
É prerrogativa dela.