Naquela noite o Centro Paroquial Senhora Santana recebeu um público diferente do que sempre acolhe.Lá estavam o então prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo e dois secretários municipais, Ozeny Lopes e Antônio Carlos Borges Junior para autorizar, com toda a pompa, a abertura da licitação pública para contratar a empresa que ficaria responsável pela obra de cobertura do Feiraguay.

Era abril de 2016.

No final daquele ano, Ronaldo foi mais uma vez candidato vitorioso à reeleição, renunciou ao cargo em 2018 para se candidatar a Governo da Bahia e a obra de cobertura ainda não terminou.

Depois de um bom tempo parada, segundo a Prefeitura, “por conta da falta de repasse do governo federal”, a obra foi retomada em março deste ano, e novamente paralisada neste mês de junho, agora por outro motivo: no mês junino o Feiraguay vive dias de muitas vendas e a obra poderia atrapalhar.