Depois de muita expectativa e várias especulações, o Feira Coletivo Cultural publicou nesta segunda-feira (9) um vídeo que confirma a realização da edição 2019 do Festival Feira Noise, o maior evento do gênero no estado da Bahia e um dos maiores do Nordeste e do Brasil.

As atrações ainda não foram divulgadas, mas o simples lançamento do vídeo e a mudança da cor da marca do festival na página do Facebook e no perfil no Instagram foram suficientes para provocar inúmeras reações das pessoas que curtem o Feira Noise, sugerem nomes para compor a line up e divulgam esta grandiosa festa da música independente.

O local do evento, a data exata (será em novembro) e outros detalhes do Feira Noise, que celebra os 10 anos de criação do Feira Coletivo, devem ser apresentados ao longo das próximas semanas. Mas, pelo menos uma informação já pode ser dada ao público, mais uma vez teremos artistas da cidade e nomes de destaque do cenário independente nacional.

Ao longo dos últimos anos, o Festival conquistou enorme respeitabilidade entre artistas, produtores e fãs da música que não ocupa o chamado grande mercado brasileiro. A lista de nomes que já se apresentaram no Feira Noise é imensa, com destaques para Móveis Coloniais de Acaju, Dead Fish, Maglore, Vivendo do Ócio, Larissa Luz, Duda Beat, Letrux, Cascadura, Retrofoguetes, Scalene, Vespas Mandarinas, entre outras.

Historicamente o Feira Noise também se consolidou como um espaço privilegiado para artistas locais e regionais, para promoção de outras linguagens, como a dança e as artes visuais e também como ambiente de valorização dos debates sobre fomento e incentivo às artes e formação dos agentes culturais e ativistas.

Ânima Trio: 10 anos

O belíssimo disco “Ânima Trio – Música Progressiva Brasileira”, de Tito Pereira, Flaviano Gallo e Sergio Canhoto completou uma década de lançado e será celebrado em um show, cuja data ainda não está confirmada, mas será entre outubro e novembro de 2019.

Gravado no estúdio “Na Beira”, do cantor e compositor Marcel Torres, o álbum é composto por nove canções, em sua maioria assinadas pelo catarinense Márcio Pazin e pelo poeta feirense, por adoção, Roberval Pereyr, pai de Tito.

No CD também existem releituras de canções de Luiz Gonzaga e Guio de Moraes (Pau de Arara) e Egberto Gismonti (Janela de ouro). Vale destaque também a precisa e leve interpretação do baterista Flaviano Gallo para música Soneto.

Movimento autoral em Feira

Dia desses ouvi uma entrevista do cantor e compositor Roberto Kuelho ao programa Bom Dia Feira, da Princesa FM, em que ele destacava o interesse cada vez mais crescente dos artistas de Feira de Santana pela produção autoral. Esse é realmente, para nossa satisfação, um movimento muito evidente.

O próprio Kuelho, que recentemente apresentou ao público a música “Amor Delivery”, continua produzindo de forma intensa e por certo, tem incentivado muitos outros a enveredar por esse caminho, a partir deste exemplo. Ainda estamos muito longe da devida valorização a este conteúdo, mas fazer, gravar e mostrar é a melhor forma de começar.

Numa rápida tacada, sou capaz de citar 10 figuras e bandas que lançaram trabalhos próprios (álbuns, EP’s ou singles) recentemente: Juli, Kareen Mendes, Isa, Sons de Mercúrio, Sofie Jell, Iorigun, Roça Sound, Don Guto, Tito Pereira e Bel da Bonita, sem falar no próprio Kuelho.

Elsimar Pondé é radialista, jornalista e ativista cultural